Insatisfeitos, Índios tentam invadir a Câmara dos Deputados; duas pessoas ficaram feridas

Publicado:2/10/13 – 14h43

BRASÍLIA – Por muito pouco, um grupo de índios não invadiu o prédio da Câmara, no começo da tarde desta quarta-feira. Eles conseguiram subir a rampa da entrada do Anexo I do prédio, quebraram uma vidraça da porta de entrada, mas a polícia legislativa conseguiu conter o movimento e impedir a invasão. Um índio e um vigilante se feriram acidentalmente na confusão. Os índios protestam contra Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 215, que transfere para o Congresso a demarcação de suas terras. Os seguranças estavam concentrados na entrada principal do Congresso, a Chapelaria, e foram surpreendidos pelo grupo que tentou invadir por uma das entradas dos fundos.

No final da tarde, próximo ao horário de pico do trânsito, um grupo de índios fechou uma das pistas da Esplanada dos Ministérios, em frente ao Palácio da Justiça. Eles colocaram cones na pista e interromperam a passagem dos carros. O deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) foi um dos que ficaram presos pelo fechamento da pista. Os índios depredaram o carro ao perceberem que se tratava do carro de um parlamentar: eles esvaziaram um dos pneus do carro, enrolaram papel higiênico em torno do veículo, colocaram notas de dinheiro no limpador de para-brisa e fizeram pichações nos vidros. O deputado, que estava no banco do passageiro do veículo Tiggo preto, saiu do carro, reclamou, e decidiu ir andando até o Ministério da Justiça.

Durante a confusão, apenas um carro de política estava na área, e os policiais apenas observaram a interrupção do trânsito.

Um grupo de 31 lideranças indígenas participou de uma reunião com o presidente em exercício da Câmara, deputado André Vargas (PT-PR) e com alguns deputados, que ouviram as reivindicações e reclamações dos indígenas. O principal assunto trazido pelos indígenas é a crítica à PEC 215.

O primeiro indígena a falar foi o cacique Raoni, líder do povo Kaiapó. Em pé, apontando o dedo para os deputados e falando na língua dele, Raoni pediu respeito às terras indígenas e que as propostas contrárias aos indígenas sejam barradas no Congresso.

– Vocês políticos, deputados e senadores não estão respeitando os povos indígenas. Vocês invadiram a nossa terra e querem acabar com tudo. Quando a Constituição faz 25 anos, ao invés de ser respeitada está sendo desrespeitada. Não vamos deixar isso acontecer – disse Raoni, segundo intérprete.

Ontem, cerca de 1.200 indígenas, de várias etnias, realizaram uma grande manifestação na Esplanada dos Ministérios. Eles estão acampados desde a noite de segunda-feira na capital. Com bordunas, lanças, arco e flecha, os indígenas, em especial os caiapós, conhecidos como povo guerreiro, cantavam e dançavam durante o percurso do protesto: eles deixaram o acampamento, no gramado da Esplanada, e passaram pelo Congresso Nacional, pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e próximo ao Palácio do Planalto. Uma corrente de policiais impediu o acesso dos índios até à frente do Palácio.

O grupo é contra a análise do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 215. A instalação da comissão especial que analisaria a PEC estava marcada para ontem mas foi suspensa. A bancada ruralista ocupa quase todos os cargos dessa comissão.

Pelo Twitter da presidente Dilma Rousseff, a Presidência da República afirmou, no final da noite de ontem, que o governo é contra a PEC. “Meu governo é contra a PEC 215, que retira da União direito de demarcar as terras indígenas. Orientei a base do governo a votar contra a PEC”, afirmou.

Simone Iglesias PANORAMA POLÍTICO e Evandro Éboli

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/indios-quebram-vidro-tentam-invadir-camara-dos-deputados-10227096#ixzz2gbDsq2vr 

Anúncios

Sobre edwardluz

Contatos & WhatsApp: (061) 99314389, (062) 96514602 Sou Edward M. Luz antropólogo brasileiro, goiano, residente em Anápolis e Brasília, doutorando em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília, mesma universidade onde cursou e concluiu graduação e mestrado em Antropologia Social (Lattes : http://lattes.cnpq.br/7968984077434644 ). Iniciei carreira profissional em trabalhos de identificações e delimitações de terras indígenas em 2003 e desde então exerci esta função de Antropólogo Consultor em três ocasiões, sempre contratado pelo convênio FUNAI/PPTAL. Durante os últimos sete anos trabalhei na identificação e demarcação de oito (8) terras indígenas, todas no estado do Amazonas. Sempre trabalhei orientado pelos artigos 231 e 232 do texto Constitucional, obediente à Portaria 14 e atento ao Decreto 1775/96 e acima de tudo, norteado pelos princípios acadêmicos de imparcialidade e cuidado aos quais acrescento sempre bom senso, equilíbrio e por um forte senso ética e responsabilidade com a vida dos meus interlocutores que estudo. A observância de tais princípios me colocou em rota de colisão com alguns antropólogos e sobretudo com a FUNAI, o que culminou com a rejeição de minha postura democrática e de diálogo com as partes envolvidas em demarcações de quilombos e Terras Indígenas. Independente de quem serão meus adversários continuarei batalhando contra e enfrentando esse perigoso processo político de etnicização do Brasil, esforçando-me por promover o diálogo, a postura democrática e as soluções racionais e dialogadas para o crescente conflito étnico no Brasil, mantido e estimulado por ONGs e órgãos que precisam desesperadamente do conflito para manterem e justificarem uma ideologia fracassada, que se espalha por ONGs, pela parte ideologicamente comprometida da universidade brasileira e sobretudo por servidores de importantes e respeitáveis instituições republicanas brasileiras que precisam ser resgatadas do pernicioso processo de aparelhamento político do estado a que foram submetidas. Continuo disposto a trabalhar em soluções republicanas e democráticas par as situações dos conflitos étnicos em todo território nacional. Edward Mantoanelli Luz. Antropólogo Consultor da Human Habitat Consultoria LTDA
Esse post foi publicado em Manifestação Indígena e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s