Vice dos EUA diz que acabou a paciência com a Coreia do Norte.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, na conferência de Munique - 18/02/2017Pence deu a entender que a via militar é uma possibilidade se Pyongyang não ceder

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, visitou nesta segunda-feira a zona desmilitarizada (DMZ) que separa as duas Coreias, em um momento de máxima tensão com a do Norte devido a seus repetidos testes de armas.

A poucos metros da fronteira com a Coreia do Norte, Pence destacou novamente a importância da aliança de Washington e Seul e a “determinação do povo e do presidente americano” para resolver a situação “através de meios pacíficos, através de negociações”.

Não obstante, o número dois do governo Trump lembrou que a “paciência estratégica” dos Estados Unidos está acabando e que “todas as opções estão sobre a mesa” para se conseguir a desnuclearização da península coreana, em uma nova insinuação de que a via militar é uma possibilidade se Pyongyang não ceder.

Pence foi levado do centro de Seul (a cerca de 50 quilômetros ao sul da DMZ) em um helicóptero militar Blackhawk até pousar em Camp Bonifas, que deve seu nome a um dos dois soldados dos EUA mortos por tropas norte-coreanas em um incidente acontecido na zona desmilitarizada em 1976.

Horas antes de Pence chegar à região neste domingo, a Coreia do Norte tentou lançar sem sucesso um míssil balístico que explodiu após ser disparado, no que representa mais um teste de armas do regime de Pyongyang no último ano.

http://veja.abril.com.br/mundo/vice-dos-eua-diz-que-acabou-a-paciencia-com-a-coreia-do-norte/
Anúncios

Sobre edwardluz

Contatos & WhatsApp: (061) 99314389, (062) 96514602 Sou Edward M. Luz antropólogo brasileiro, goiano, residente em Anápolis e Brasília, doutorando em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília, mesma universidade onde cursou e concluiu graduação e mestrado em Antropologia Social (Lattes : http://lattes.cnpq.br/7968984077434644 ). Iniciei carreira profissional em trabalhos de identificações e delimitações de terras indígenas em 2003 e desde então exerci esta função de Antropólogo Consultor em três ocasiões, sempre contratado pelo convênio FUNAI/PPTAL. Durante os últimos sete anos trabalhei na identificação e demarcação de oito (8) terras indígenas, todas no estado do Amazonas. Sempre trabalhei orientado pelos artigos 231 e 232 do texto Constitucional, obediente à Portaria 14 e atento ao Decreto 1775/96 e acima de tudo, norteado pelos princípios acadêmicos de imparcialidade e cuidado aos quais acrescento sempre bom senso, equilíbrio e por um forte senso ética e responsabilidade com a vida dos meus interlocutores que estudo. A observância de tais princípios me colocou em rota de colisão com alguns antropólogos e sobretudo com a FUNAI, o que culminou com a rejeição de minha postura democrática e de diálogo com as partes envolvidas em demarcações de quilombos e Terras Indígenas. Independente de quem serão meus adversários continuarei batalhando contra e enfrentando esse perigoso processo político de etnicização do Brasil, esforçando-me por promover o diálogo, a postura democrática e as soluções racionais e dialogadas para o crescente conflito étnico no Brasil, mantido e estimulado por ONGs e órgãos que precisam desesperadamente do conflito para manterem e justificarem uma ideologia fracassada, que se espalha por ONGs, pela parte ideologicamente comprometida da universidade brasileira e sobretudo por servidores de importantes e respeitáveis instituições republicanas brasileiras que precisam ser resgatadas do pernicioso processo de aparelhamento político do estado a que foram submetidas. Continuo disposto a trabalhar em soluções republicanas e democráticas par as situações dos conflitos étnicos em todo território nacional. Edward Mantoanelli Luz. Antropólogo Consultor da Human Habitat Consultoria LTDA
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Vice dos EUA diz que acabou a paciência com a Coreia do Norte.

  1. Esse impasse ainda vai acabar gerando uma guerra de proporções perigosas e abrangentes.
    Oremos para que isso não aconteça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s