Governo Federal assegura recursos para a situação de emergência social dos índios migrantes da Venezuela

Prefeito reunido em Brasilia com membros do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário.Em Brasília, prefeito Arthur garante recursos para a situação de emergência social em Manaus

 

O prefeito Arthur Virgílio Neto garantiu, nesta quinta-feira, 11, em Brasília-DF, recursos junto ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário para ajudar na situação de emergência social dos 387 indígenas venezuelanos da etnia Warau que se encontram em Manaus.

Acompanhado de sua esposa, Elisabeth Valeiko, do secretário municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos, Elias Emanuel, e da deputada federal Conceição Sampaio, o prefeito reuniu-se com o ministro do desenvolvimento social,  Osmar Terra, para expor a grave situação em que se encontram os indígenas.

“Recebemos o compromisso do ministro de enviar emergencialmente para Manaus a melhor quantia que ele puder, dentro das possibilidades do ministério”, disse o prefeito.

A confirmação do repasse de recursos só foi possível devido à publicação no Diário Oficial do Município, do dia 4 de maio de 2017, do decreto nº 3.689, que declara situação de emergência social em Manaus, pelos próximos 90 dias, prorrogáveis por mais 30.

Durante a reunião não foram divulgados os valores dos recursos, porém também foi debatida a criação de um campo de refugiados para acolher esses indígenas  que buscam o Brasil como refúgio.

“Devido ao grande fluxo de índios imigrantes na fronteira de Pacaraima, em Roraima, com a Venezuela, o ministro entende que para quem já está aqui, dever haver um abrigo ajudado pela ONU (Organização das Nações Unidas) e OEA (Organização dos Estados Americanos), como há na Síria, para que eles possam se instalar sem que surjam problemas para os serviços da cidade”, explicou Arthur.

Outra pauta da reunião foi  a restrição da entrada desses refugiados já nas fronteiras. “Esse assunto já está sendo tratado com o ministro das Relações Exteriores, Aluízio Nunes, e será também levado ao ministro Padilha, da Casa Civil, no sentido de criar um campo de refugiados e termos a barreira na fronteira” disse o prefeito.

A deputada federal Conceição Sampaio lembrou que a situação, na proporção que está, precisa do envolvimento de todas as esferas do poder para que tenha uma resolução.

“Esse é um problema que tem que ser enfrentado pela prefeitura com a ajuda do Governo do Estado e, principalmente, do Governo Federal. É um problema social que temos que enfrentar. E mesmo que o município já esteja executando ações, é preciso uma definição enquanto país para sabermos como devemos fazer”, enfatizou.

 

Matéria completa em:

http://semmasdh.manaus.am.gov.br/em-brasilia-arthur-garante-recursos-para-a-situacao-de-emergencia-social-de-indios-venezuelanos/

 

Anúncios

Sobre edwardluz

Contatos & WhatsApp: (061) 99314389, (062) 96514602 Sou Edward M. Luz antropólogo brasileiro, goiano, residente em Anápolis e Brasília, doutorando em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília, mesma universidade onde cursou e concluiu graduação e mestrado em Antropologia Social (Lattes : http://lattes.cnpq.br/7968984077434644 ). Iniciei carreira profissional em trabalhos de identificações e delimitações de terras indígenas em 2003 e desde então exerci esta função de Antropólogo Consultor em três ocasiões, sempre contratado pelo convênio FUNAI/PPTAL. Durante os últimos sete anos trabalhei na identificação e demarcação de oito (8) terras indígenas, todas no estado do Amazonas. Sempre trabalhei orientado pelos artigos 231 e 232 do texto Constitucional, obediente à Portaria 14 e atento ao Decreto 1775/96 e acima de tudo, norteado pelos princípios acadêmicos de imparcialidade e cuidado aos quais acrescento sempre bom senso, equilíbrio e por um forte senso ética e responsabilidade com a vida dos meus interlocutores que estudo. A observância de tais princípios me colocou em rota de colisão com alguns antropólogos e sobretudo com a FUNAI, o que culminou com a rejeição de minha postura democrática e de diálogo com as partes envolvidas em demarcações de quilombos e Terras Indígenas. Independente de quem serão meus adversários continuarei batalhando contra e enfrentando esse perigoso processo político de etnicização do Brasil, esforçando-me por promover o diálogo, a postura democrática e as soluções racionais e dialogadas para o crescente conflito étnico no Brasil, mantido e estimulado por ONGs e órgãos que precisam desesperadamente do conflito para manterem e justificarem uma ideologia fracassada, que se espalha por ONGs, pela parte ideologicamente comprometida da universidade brasileira e sobretudo por servidores de importantes e respeitáveis instituições republicanas brasileiras que precisam ser resgatadas do pernicioso processo de aparelhamento político do estado a que foram submetidas. Continuo disposto a trabalhar em soluções republicanas e democráticas par as situações dos conflitos étnicos em todo território nacional. Edward Mantoanelli Luz. Antropólogo Consultor da Human Habitat Consultoria LTDA
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s