Imbróglio diplomático revela artimanhas internacionais de controle sobre o desenvolvimento do Brasil

Resultado de imagem para temer noruegaTemer na Noruega

Depois da viagem oficial feita à Rússia, o presidente Michel Temer desembarcou hoje em Oslo, capital da Noruega, principal país financiador do Fundo Amazônia, com repasses de R$2,8 bilhões. A questão ambiental está entre os assuntos a serem tratados nas reuniões com as autoridades locais. Hoje (22), o presidente brasileiro se encontra com investidores noruegueses. Amanhã (23), Temer reúne-se com o Rei Harald V, com a primeira-ministra, Erna Solberg, e com o presidente do Parlamento, Olemic Thommessen.

Na semana passada, o ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, enviou uma carta a seu colega brasileiro, Sarneyzinho Filho, ameaçando cortar os repasses de petrodólares noruegueses ao Brasil se o Governo não tomasse medida que protejam a Amazônia dos brasileiros que vivem na região.

Segundo o norueguês, a ação do Brasil de proteger a Amazônia dos brasileiros “determinará o futuro de nossa parceria baseada em resultados”. Mais adiante no texto, ele expressa o temor de que os bilhões de reais doados pela Noruega e pela Alemanha em troca da preservação da Amazônia “tenham tido um impacto apenas temporário”.

Ao portal alemão Deutsche Welle, o ministro norueguês disse que os repasses da Noruega ao Brasil podem ser reduzidos. “Nosso programa de doação é baseado em resultados. Isso significa que, se o desmatamento está subindo, haverá menos dinheiro”.

Há duas semanas, a embaixadora da Noruega no Brasil, Aud Marit Wiig, também adotou tom crítico pouco usual na diplomacia, ao comentar a questão em entrevista ao jornal Valor Econômico. “A criação de áreas protegidas foi uma medida muito eficiente para manter a floresta. E quando se enfraquece esse instrumento, tememos que os resultados possam ser negativos. “Estamos preocupados. O serviço de redução de emissões de CO2 que o Brasil entrega é muito importante. O que vai acontecer, provavelmente, é uma redução no dinheiro (repassado ao Brasil)”, disse ainda.

Na mesma entrevista, o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, também manifestou descontentamento do governo alemão, outro financiador do Fundo Amazônia. “Vemos como problemáticos os sinais de redução na proteção da floresta. É claro que isso não tem impacto positivo no governo Merkel e também nos membros do Parlamento, que estão se perguntando o que se está fazendo com esse dinheiro público”, disse Witschel.

Já para o embaixador do Brasil na Noruega, George Prata, como o Brasil tem um importante patrimônio natural, os noruegueses (que exportam burras de petróleo) ajudam a financiar parte da proteção a essa riqueza. “Nos últimos anos, a Noruega contribuiu com quase US$ 1 bilhão para programas de conservação e desenvolvimento sustentável na Amazônia”, explica o embaixador genuflexo.

A Noruega é um dos maiores produtores e exportadores e petróleo do planeta e o oitavo maior investidor estrangeiro no Brasil, com presença no setor de energia. Atualmente, há 89 projetos no âmbito do Fundo Amazônia boa parte deles financiando o aparato de repressão ambientalista de organizações governamentais e não governamentais. O Fundo é administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De acordo com o Palácio Planalto, Temer buscará, nesses encontros, ampliar o comércio entre o Brasil e a Noruega. Há também interesse em avançar nas negociações para um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA), grupo integrado por Noruega, Islândia, Liechtenstein e Suíça. A viagem de retorno a Brasília está prevista para a noite desta sexta-feira.

Em tempo, por que a Noruega enviaria um Exército para invadir a Amazônia, queimar máquinas, embargar as terras dos brasileiros e expulsá-los de suas casas, se o país pode pagar para fazer isso com os agentes do Ibama, da nossa polícia federal e de ONGs?

http://www.codigoflorestal.com/2017/06/brasil-vendera-amazonia-para-noruega-e.html
Anúncios

Sobre edwardluz

Contatos & WhatsApp: (061) 99314389, (062) 96514602 Sou Edward M. Luz antropólogo brasileiro, goiano, residente em Anápolis e Brasília, doutorando em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília, mesma universidade onde cursou e concluiu graduação e mestrado em Antropologia Social (Lattes : http://lattes.cnpq.br/7968984077434644 ). Iniciei carreira profissional em trabalhos de identificações e delimitações de terras indígenas em 2003 e desde então exerci esta função de Antropólogo Consultor em três ocasiões, sempre contratado pelo convênio FUNAI/PPTAL. Durante os últimos sete anos trabalhei na identificação e demarcação de oito (8) terras indígenas, todas no estado do Amazonas. Sempre trabalhei orientado pelos artigos 231 e 232 do texto Constitucional, obediente à Portaria 14 e atento ao Decreto 1775/96 e acima de tudo, norteado pelos princípios acadêmicos de imparcialidade e cuidado aos quais acrescento sempre bom senso, equilíbrio e por um forte senso ética e responsabilidade com a vida dos meus interlocutores que estudo. A observância de tais princípios me colocou em rota de colisão com alguns antropólogos e sobretudo com a FUNAI, o que culminou com a rejeição de minha postura democrática e de diálogo com as partes envolvidas em demarcações de quilombos e Terras Indígenas. Independente de quem serão meus adversários continuarei batalhando contra e enfrentando esse perigoso processo político de etnicização do Brasil, esforçando-me por promover o diálogo, a postura democrática e as soluções racionais e dialogadas para o crescente conflito étnico no Brasil, mantido e estimulado por ONGs e órgãos que precisam desesperadamente do conflito para manterem e justificarem uma ideologia fracassada, que se espalha por ONGs, pela parte ideologicamente comprometida da universidade brasileira e sobretudo por servidores de importantes e respeitáveis instituições republicanas brasileiras que precisam ser resgatadas do pernicioso processo de aparelhamento político do estado a que foram submetidas. Continuo disposto a trabalhar em soluções republicanas e democráticas par as situações dos conflitos étnicos em todo território nacional. Edward Mantoanelli Luz. Antropólogo Consultor da Human Habitat Consultoria LTDA
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s